desvenda

anos e anos

a confiar cegamente, a transparecer emoção, a deixar levar…
lomba, depressão, lomba, depressão.

tantos high kicks que derrubaram, tantos golpes de mão…

sempre confiando (estúpida).

quando deixo de o fazer e dou uns (valentes) passos atrás e prefiro confiar na razão (embora seja a do coração)… resultados mais favoráveis devido ao terreno melhor apalpado, desconfianças mais apuradas e sinais bem interpretados – so say we all?

devia ser piso deslizante mas há mais quedas que mais se assemelham a terramotos…

confio? Não confio? Não sei. Já não sei.

e não gosto de não saber. E de esperar. Odeio esperar também.

Leave a Reply

Your email address will not be published.