respira fundo…

se não mostro o meu nojo em certas situações ou até o meu desdém é porque imito bem alguém que se excedeu no botox,

já não sei o que fazer. A “ajuda” (…haha) só me faz suspirar e imaginar caracóis que fazem das folhas com orvalho um escorrega.

ou seres extraterrestres que realmente visitam este planeta mas só utilizam as mesmas 10 pessoas desde os anos 50 para raptarem e usarem sondas – porquê esta preferência?

lembro-me também do cheiro do livro antigo, dos anos 60, cheio de desenhos que tentam acertar os testemunhos delirantes… as fotografias do senhor no hospital com uma queimadura em forma de grelha.. era o meu livro favorito (da colecção Roubar os Livros Antigos da Mãe)

imagino tudo isso enquanto, supostamente, estou a ser ajudada.

também penso na quantidade de calorias por rolinho de sushi porque, bolas, mereço. E imagino “será que conseguia *mesmo* subsistir a sushi somente? Gosto mesmo mas será que me enjoava?”. Eu acho que não! Não mesmo. Claro, fico extremamente satisfeita com poucas quantidades (é o arroz) mas o sabor, será que me aborrecia?

lembro-me de que enjoei a minha refeição “preferida de todo o sempre” quando encomendei o suficiente para umas boas semanas… que desperdício.

enfim

quando as coisas vão mais ou menos assim, não me responsabilizo pela cabeça de vento que sou.

… “pois… isso é muita turbulência… *head nod*”

a sério? You don’t say! *mindfuck*

“…pois é”.

… que raio de admiração é essa?! Sei bem!

“pois…” – a maravilha da pseudo ciência, a descoberta do mal evidente, latente!

encolho os ombros e deixo o piloto automático ligado para poder continuar a imaginar…

onde exactamente terei de me inscrever ou se fica muito caro experimentar um voo de gravidade zero. Onde os fazem? Portugal não tem… ficava caro ir fazer só isso é melhor incluir numa viagem.

por falar em viagem tenho de ir ver o calendário… que dia é hoje? JÁ???

quantas serão as formigas que mato sem querer todos os dias ao caminhar pela estrada? Por mais vegan que alguém seja, muitos bichinhos morrem com o nosso caminhar. Será que os vegans a sério a sério deslizam pelo ar?

e a vista da janela… epá que fooooommmmeeeeeee… aquilo tem mesmo bom aspecto. Vou lá passar a tarde.

é melhor não. Agora estou fula e vou arranjar bronca com alguém que não tem culpa disto..

“POIS…”

Leave a Reply

Your email address will not be published.